A Região
VINHO TERRAS DE SICÓ


SABIA QUE?

Na vinicultura, o vinho Terras de Sicó é o produto de destaque, inserido na sub-região do "Vinho Regional Beiras" (Portaria nº 158/93, de 11 de fevereiro ). 

A área geográfica de produção limita-se aos concelhos de Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, Penela e Soure e às freguesias de Lamas (Miranda do Corvo), Abiúl, Vila Chã, Redinha e Pelariga (Pombal) e Aguda (Figueiró dos Vinhos). Nestas vinhas predominam castas tintas (Alfrocheiro Preto, Baga, Bastardo, Rufete, Trincadeira e Touriga Nacional) e brancas (Fernão Pires, Rabo de Ovelha, Arinto e Cerceal)


Queijo Rabaçal

Um Queijo único

Descrição: O Queijo Rabaçal DOP é um queijo curado de pasta semidura a dura, branco-mate, com poucos ou nenhuns olhos pequenos e irregulares disseminados na massa, produzido de forma artesanal a partir de uma mistura de leites de ovelha e cabra por ação do coalho de origem animal.

Método de produção: Após a ordenha manual, os leites são transportados para a queijaria, onde são coados com um pano para o recipiente onde são misturados e coagulados através de um coalho de origem animal. Após o período de coagulação (que dura 45 minutos a uma hora), a coalhada é retirada à mão para um coador, sendo de seguida depositada dentro do cincho. Quando o soro estiver completamente esgotado, procede-se a uma leve prensagem manual e salga-se o queijo. Ao fim de 2 a 4 dias após a salga as cintas são retiradas e os queijos são colocados em prateleiras. Durante a cura os queijos são lavados 3 vezes por semana, raspados com um pedaço de telha, faca ou mesmo uma folha de figueira, limpos os com um pano de linho ou de algodão e colocados novamente no local de cura. O tempo de cura não pode ser inferior a 20 dias.

Características particulares: Muito do sabor distintivo deste queijo é devido a uma planta chamada "Santa Maria". Trata-se de um tomilho espontâneo, abundante nesta área, que serve de alimento às ovelhas e cabras que fornecem o leite para a produção deste queijo.

Área de produção: Ocupando cerca de 850 km2, a área de produção do Queijo Rabaçal DOP situa se entre os distritos de Coimbra (concelho de Penela, parte dos concelhos de Condeixa a Nova e de Soure) e Leiria (concelho de Ansião, parte dos concelhos de Alvaiázere e de Pombal).

História: São ancestrais as origens do Queijo Rabaçal DOP. O seu nome deriva da povoação do Rabaçal, já referenciada em documentos escritos datados de 1139. As suas qualidades e reputação são referidas por inúmeros autores, entre os quais Eça de Queirós no seu livro "A Cidade e as Serras" ("cada queijo, um desses queijinhos redondos, como o Camembert ou o Rabaçal, pode vir a custar-te, a ti Jacinto quei-jeiro, entre duzentos e cinquenta e trezentos mil réis").


Casal De São Simão & Gondramaz

 As mais  belas Aldeias de Xisto 


Descubra um Casal com uma só rua. Com uma fonte que continuamente entoa a canção da água. Com uma capela que nos conta lenda de santo. Com uma vereda que nos leva à praia, mesmo ali encaixada nas Fragas de São Simão. Aqui também há uma Loja Aldeias do Xisto e uma Associação cujo nome se confunde com o que nos promete esta Aldeia: que estamos a entrar em Refúgios de Pedra.

Nesta aldeia há um novo sentir coletivo feito de pessoas que recuperaram as casas com as suas próprias mãos. São novos aldeões que vieram da cidade e que trouxeram nova vida a estas paragens. Todos os fins-de-semana, e sempre que podem, juntam-se todos nas casa uns dos outros e entreajudam-se nas refeições, nas obras, no convívio. "Que venha quem vier por bem", parecem dizer-nos. E o apelo é irresistível...

Pequena aldeia, de praticamente uma só rua, essencialmente construída em quartzito. Situa-se num dos flancos da crista quartzítica que dá origem às Fragas de São Simão e possui o templo mais antigo do concelho de Figueiró dos Vinhos.

A aldeia estende-se ao longo de uma cumeada quase paralela ao curso da Ribeira de Alge. A entrada fica no extremo mais elevado e a povoação termina onde os declives tornaram difícil a continuidade dos arruamentos.

Serra do Sicó

A beleza Imperdivel


O relevo calcário do Maciço do Sicó, no centro de Portugal, representa um reduto paisagístico dominado por superfícies secas, com vertentes de rocha nua misturada com vegetação arbustiva mediterrânica. Por aqui, as comunidades rurais estão limitadas pelos recursos hidrícos disponíveis. Numa região onde a água superficial é praticamente inexistente, predominam vales secos e depressões cársicas ocupadas por culturas de sequeiro e pastoreio. As águas escoam de forma subterrânea, numa rede densa de grutas, que alimentam os aquíferos da região.

A poucos quilómetros de Condeixa-a-Nova, a estrada municipal 609 leva à aldeia de Casmilo. Aí é necessário parar o carro e descer a pé até ao Vale das Buracas, um vale com vertentes abruptas e nuas, onde existem vários abrigos rochosos, as chamadas "buracas". O vale é todo ele magnífico mas as "buracas" são algo de verdadeiramente extraordinário.

Recentemente foi criado um percurso pedestre que tem início na aldeia de Casmilo e percorre a paisagem cársica da região, atravessando campos de lapiás (formas de rocha nua acinzentada, perfurada e lavrada por sulcos mais ou menos profundos e estreitos), vertentes "povoadas" de espécies mediterrânicas, áreas deprimidas ocupadas por milho e alguns produtos hortículas, e oliveiras rodeadas por círculos de rocha calcária. Este percurso pedestre permite conhecer as limitações naturais da região, bem como apreciar a forma como as populações ultrapassaram estes condicionalismos e viveram durante séculos em harmonia com o meio.

Forno da Srª da Guia

Um marco da Romaria

Forno Medieval de Avelar

Embora em desuso actualmente, este forno já foi em tempos um dos locais mais importantes do Concelho. Segundo lendas populares, o forno era lugar de milagres por altura das festas de Nossa Senhora da Guia.

No largo da Igreja, ao cimo de um enorme espaço aberto, que foi o antigo terreiro, pode admirar-se o grande Forno, construído no topo de uma imponente escadaria que terá origem medieval. Embora em desuso actualmente, este forno já foi em tempos um dos locais mais importantes do Concelho.
O Forno é uma construção hexagonal, com uma cruz de trevo no topo da cúpula e dois pináculos piramidais ao lado da cruz.
Este Forno esteve, desde sempre, ligado às Festas de Nossa Senhora da Guia. Segundo a lenda, nesses dias de romaria havia uma pessoa que entrava no Forno bem quente, levando a farinha para fazer um enorme bolo. Após a cozedura do bolo, entrava novamente no Forno e, na boca, para sua protecção, levava um cravo. A pessoa sairia do Forno sem se queimar graças à protecção divina e o bolo era dividido pelos devotos.


Igreja Matriz de Chão de Couce

A fé e a arte de José Malhoa

A actual Igreja de Chão de Couce foi construída no local do primitivo templo católico, considerado, nas primeiras décadas do século XX, demasiado pequeno para conseguir receber, em condições aceitáveis, todos os paroquianos. 
A iniciativa da sua construção partiu do respectivo Pároco, Padre Manuel Mendes Gaspar, que conseguiu agregar a esse projecto toda a comunidade paroquial, tendo sido o novo templo inaugurado no dia 23 de Novembro de 1930. 
A nova Igreja ficou, durante cerca de duas décadas, com a antiga Torre, exactamente do lado contrário àquele em que hoje se encontra. A actual Torre foi construída na década de 1950. 
De interesse nesta Igreja, e para além das muitas imagens que se podem ver nos seus altares (algumas delas muito antigas, designadamente as esculturas em pedra da padroeira e de Santo André - que se supõe serem quinhentistas), são também os azulejos da nave, capela-mor e fachada principal, da autoria de Mário Reis. 
Tem quatro altares laterais, com imagens contemporâneas, e dois colaterais, sendo de maior importância o que tem a imagem de Santo Antão (patrono da vida monástica com um livro e caveira), do século XVI. 
A Igreja tem sido alvo de obras de conservação e melhoramento. Entre 1993 e 1995, foi construído um salão para reuniões e recuperada a Sacristia, no lado Poente, e, no lado oposto, foram criadas três salas de catequese e adaptado um espaço para Capela Funerária, bem como a substituição de todos os telhados, pintura do exterior e novo relógio. 
No ano 2000, para celebrar com mais dignidade o Jubileu, foi a vez de se fazerem grandes obras de restauro no interior do templo: as paredes foram rebocadas de novo e pintadas, os tectos e o soalho substituídos por madeira exótica, os bancos restaurados, feita nova instalação sonora e eléctrica e restaurados todos os altares, tendo sido melhorada a sua talha com pinturas e douramentos de que se encarregou uma prestigiada casa de arte religiosa da cidade de Braga. As obras de restauro foram inauguradas no dia 22 de Junho de 2000.
Mas a jóia mais importante, em termos artísticos, é, sem dúvida, o Retábulo de Nossa Senhora da Consolação, oferecido à Igreja de Chão de Couce pelo seu autor, Mestre José Malhoa, contava o pintor 78 anos de idade (última obra de Malhoa).


Castelo de Conde Melhor

Dos Romanos ao Sec. XXI

Santiago da Guarda 
Monumento Nacional desde 1978, o Castelo ou residência senhorial dos Condes de Castelo Melhor encerra no seu perímetro vestígios arqueológicos de várias épocas: uma villa romana do século IV; uma torre quatrocentista e o Paço dos Vasconcelos. 

Tipologia: Sítios Arqueológicos e Monumentos MusealizadosMorada 
Rua Conde de Castelo Melhor
3240-690 AnsiãoContactos 
Tel: 266 670 200
Fax:266 677 481
E-mail: celia.freire@cm-ansiao.ptTutela 
Câmara Municipal de AnsiãoFuncionamento 
De 3ª feira a domingo, das 10h às 13h e das 15h às 19h. Encerra: 2ª feira, 1 de janeiro, 25 de abril, 1 de maio, 21 de maio (feriado municipal) e 25 de dezembro.Outras atividades 
Visitas guiadas; loja de produtos endógenos e de artesanato. Semanalmente, é dinamizado um espetáculo de marionetas dirigido ás escolas e às famílias, no sentido de dar a conhecer o espaço aos mais pequeno 

Loja das Caves Avelar

Marque uma degustação dos nossos vinhos acompanhado do nosso queijo do Rabaçal, terminando com um pastel de Cicharo seguido do nosso licoroso.

Estamos disponivéis para o receber na nossa loja de segunda a sexta-feira, das 9 às 19 horas. Este horário pode ser flexibilizado por marcação, de forma a poder recebe-lo. Na prova pode degustar e adquirir todos os produtos produzidos nas Caves Avelar. Visite-nos, estamos de braços abertos para o receber.

O nosso Concelho

Ansião


https://www.youtube.com/watch?v=OLOg83qJQ70&feature=yout

https://www.youtube.com/watch?v=EZ5O7cHwd2I